COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

 

Durante a 30ª Assembleia Nacional da Comissão Pastoral da Terra (CPT), realizada nos dias 04 e 05 de abril, em Goiânia, Goiás, agentes pastorais, bispos e trabalhadores e trabalhadoras debateram o processo de criminalização que culminou na prisão preventiva de Padre Amaro no dia 27 de março.

 

Padre José Amaro Lopes de Sousa é agente da Pastoral da Terra em Anapu, no Pará, e também pároco da Paroquia de Santa Luzia de Anapu, da Prelazia do Xingu. “Tua prisão, absurda e sem fundamentos, é o sinal claro da tua fidelidade à causa dos pobres, na busca por Justiça e dignidade”, destaca trecho da Carta.

Confira a Carta de solidariedade e apoio a Padre Amaro:

Padre Amaro, nosso companheiro da caminhada

Estamos reunidos aqui em Goiânia na XXX Assembleia Nacional da CPT e tu estivestes muito presente todos os dias no meio de nós, nas nossas reflexões e nas nossas orações.

Tua prisão, absurda e sem fundamentos, é o sinal claro da tua fidelidade à causa dos pobres, na busca por Justiça e dignidade. Pelos latifundiários e os poderes que lhe são submissos, que querem impedir que continues em tua missão. Mesmo com estas atitudes maldosas não apagarão de forma alguma a luz do teu testemunho e compromisso com os pobres, pelo qual teres sido considerado digno de sofrer por causa da Justiça, pois acreditamos naquele que proclamou de modo contundente: “Felizes os perseguidos por causa da Justiça, porque deles é o Reino do Céu. Felizes vocês, se forem insultados e perseguidos e se disserem todo tipo de calúnia contra vocês, por causa de mim. Fiquem alegres e contentes, porque será grande a recompensa no céu. Do mesmo modo perseguiram os profetas que vieram antes de vocês”. (Mt 5, 11-12)

Esta promessa do evangelho é a palavra viva de Deus diretamente para você. Meu irmão Amaro em meio a tantas lutas e dificuldades e nossas próprias fragilidades, tua prisão nos fortalece em nossa missão. Teu testemunho alimenta em nós a certeza de que estamos no caminho certo, ao lado daqueles que o sistema rejeita e esquece.

Essa tua prisão tão violenta por tantas calunias e difamação, em plena Semana Santa, nos deu a clareza que os teus sofrimentos se somaram aos sofrimentos de Cristo na busca da redenção de nosso povo, tão oprimido e espoliado.

Amaro, aceite pleno apoio e o nosso abraço, que é o abraço de toda a Comissão Pastoral da Terra espalhada pela imensidão do Brasil.

Goiânia, 5 de abril de 2018.

30ª ASSEMBLEIA NACIONAL DA CPT

 

Confira abaixo a Carta digitalizada e assinada pelos/as participantes da Assembleia Nacional da CPT:

Gostou dessa informação?

Quer contribuir para que o trabalho da CPT e a luta dos povos do campo, das águas e das florestas continue? 

Clique aqui e veja como contribuir