COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

É uma instância colegiada, por isso, é composta por quatro coordenadores(as), e um presidente e vice-presidente que compõem a Diretoria Nacional, todos eleitos pela Assembléia, para mandato de três anos. Alguns coordenadores residem em Goiânia e atuam junto à Secretaria Nacional. Outros continuam residindo nas bases, onde já atuavam quando foram eleitos, dedicando, porém, parte do seu tempo para as atividades nacionais.

Presidente - Dom André De Witte

Dom André De Witte

Dom André De Witte nasceu em 31/12/1944 na Bélgica, 3º filho de um casal de agricultores. Seguiu a vocação de ser Padre para a América Latina, atendendo ao convite do Papa na encíclica Fidei Donum. Estudou filosofia e teologia na Universidade Católica de Lovaina e foi ordenado padre a 6 de julho de 1968. Formou-se como engenheiro agrônomo, secção economia e sociologia agrícola, na Universidade Católica de Lovaina (1968-1973) e depois de um estágio pastoral paroquial (1973-1975) chegou ao Brasil no dia 12 de fevereiro de 1976, para trabalhar na Diocese de Alagoinhas (BA). Em equipe com um colega missionário trabalhou na Paróquia de Inhambupe e na Pastoral Rural da Diocese. Recebeu ainda a missão de Vigário Episcopal do Zonal do Sertão, Diretor Espiritual dos seminaristas, Coordenador Diocesano da Pastoral e Vigário Geral. Nomeado pelo Papa João Paulo II 4º bispo da Diocese de Ruy Barbosa, foi ordenado em Inhambupe no dia 28 de agosto de 1994 e começou a missão no dia 18 de setembro do mesmo ano. No Regional NE3 era durante alguns anos o bispo a acompanhar a Juventude, e atualmente é o bispo referencial da CPT. De 1995 a 2003 foi Presidente do SPM – Serviço Pastoral dos Migrantes. Foi Presidente do IRPAA- Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada em Juazeiro e já representou a Igreja Católica na Diretoria da CESE – Coordenadoria Ecumênica de Serviços. Foi eleito Vice Presidente da CPT em sua XXVII Assembleia, realizada em março de 2015.

Em abril de 2018, foi eleito presidente da CPT durante a XXX Assembleia Geral da Pastoral. No dia 15 de abril de 2020, o Papa Francisco atendeu o seu pedido de renúncia ao governo pastoral da diocese de Ruy Barbosa (BA), enviado por ter completado 75 anos. No mesmo ato, o Santo Padre nomeou como bispo titular da mesma diocese dom Estevam dos Santos Silva Filho, então bispo auxiliar na arquidiocese São Salvador (BA). Com a decisão do Papa, Dom André se tornou bispo emérito, desobrigado das funções concernentes ao governo da diocese, mas permanecendo no exercício de seu ministério durante toda a vida.

Dom André foi reeleito na XXXIII Assembleia Nacional da CPT, realizada entre 6 e 8 de abril de 2021, para a gestão da Diretoria Nacional da CPT, como presidente, para o próximo triênio: 2021 – 2024.

Vice Presidente - Dom José Ionilton

Dom José Ionilton nasceu em 9 de março de 1962, na Fazenda Chã, em Araci, Bahia. Estudou Filosofia no Seminário Diocesano de Vitória da Conquista/Bahia e Teologia na Faculdade Beneditina do Rio de Janeiro. Emitiu a profissão religiosa em 21 de janeiro de 1990 e foi ordenado sacerdote em 19 de janeiro de 1992. Ele pertence à Congregação dos Padres Vocacionistas – Sociedade das Divinas Vocações (SDV). Antes de ir para Itacoatiara, onde tomou posse como bispo em julho de 2017, exercia o vicariato da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Riachão do Jacuípe, na Arquidiocese de Feira de Santana, na Bahia.

Em abril de 2018, foi eleito vice-presidente da CPT durante a XXX Assembleia Geral da Pastoral. Dom Ionilton foi reeleito na XXXIII Assembleia Nacional da CPT, realizada entre 6 e 8 de abril de 2021, para a gestão da Diretoria Nacional da CPT, como vice-presidente, para o próximo triênio: 2021 – 2024.

Coordenador - Carlos Lima

Carlos Lima

Carlos Lima nasceu em Maceió, Alagoas. É mestre em história pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal). É membro da Comissão Pastoral da Terra regional Nordeste II (CPT NE2) e conselheiro da CPT Nordeste 2, que abrange os estados de Alagoas, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte. Antes de chegar à CPT, no final dos anos 1980, fez parte da Pastoral de Juventude do Meio Popular (PJMP) e foi secretario da Pastoral Operária (PO). Sua militância foi sempre a partir da Igreja Católica. Desde 1993 assumiu a luta pela terra em Alagoas. Na sua trajetória colaborou com a produção de livros e artigos, a exemplo das obras "Terra em Alagoas: Temas e problemas" e "A questão Agrária em Alagoas: Índios, sem-terras e canavieiros". Carlos foi eleito na XXXIII Assembleia Nacional da CPT, realizada entre 6 e 8 de abril de 2021, para a gestão da Coordenação Executiva Nacional da CPT do próximo triênio: 2021 – 2024.

Coordenadora - Andréia Silvério

Andréia Silvério

Andréia é mulher negra, amazônida, jovem militante, advogada popular e professora do curso de direito da Faculdade Carajás (PA). Filha de migrantes do centro-oeste goiano, nasceu em Rio Maria, sul do Pará, no dia 23 de outubro de 1989. Formada em Direito no estado do Tocantins, atua como advogada da CPT desde 2014.

É mestra em Dinâmicas Territoriais e Sociedade na Amazônia, pela Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA). Foi coordenadora da CPT Regional Pará no triênio de abril 2018 - abril 2021. Andréia foi eleita na XXXIII Assembleia Nacional da CPT, realizada entre 6 e 8 de abril de 2021, para a gestão da Coordenação Executiva Nacional da CPT do próximo triênio: 2021 – 2024.

Coordenador - Ronilson Costa

Ronilson Costa

Nascido em Codó, na região dos cocais, estado do Maranhão, em 15/11/1977. Fez parte da Pastoral da Juventude no início dos anos 1990 na paróquia Santa Terezinha em Codó. Entre 1994 e 1997 conheceu a experiência de Igreja povo de Deus na paróquia de São Mateus do Maranhão, época de padre Claudio Bergamaschi, percebendo as semelhanças que aquela Igreja tinha com o seu lugar de origem e a paróquia Santa Terezinha que, em síntese, constituía um conjunto de quilombos na periferia da cidade, expulsos de seus territórios sagrados pela força do latifúndio e a ambição do capital. Muitas famílias passaram a ter uma única opção, o “campesinato de ponta de rua”.

Ainda em 1997 ingressou no seminário interdiocesano Santo Antonio em São Luís do Maranhão pela diocese de Coroatá onde cursou Filosofia, no Instituto de Estudos Superiores do Maranhão. Em 2001, tornou-se voluntário na secretaria regional da CPT na capital maranhense contribuindo com o setor de documentação de conflitos, experiência que o ajudou a conhecer mais de perto a realidade das comunidades ameaçadas e os conflitos socioterritoriais no interior do estado. Em 2011 graduou-se em História pela Universidade Federal da Paraíba – UFPB, Campus João Pessoa/PB na turma Fidel Castro, a segunda turma do curso de História realizado em parceria UFPB/Pronera. Em 2016 foi eleito pela Assembleia regional da CPT/MA para a coordenação colegiada e em junho de 2018 reconduzido ao cargo. Ronilson foi eleito na XXXIII Assembleia Nacional da CPT, realizada entre 6 e 8 de abril de 2021, para a gestão da Coordenação Executiva Nacional da CPT do próximo triênio: 2021 – 2024.

Coordenadora Isolete Wichinieski

Isolete Wichinieski nasceu em Mafra, Santa Catarina. Filha de camponeses da Comunidade de São Lourenço, onde iniciou seu trabalho na catequese, Pastoral da Juventude Rural (PJR) e nas Comunidades Eclesiais de Base. É graduada em economia pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC/GO). Foi secretária Nacional da PJR de 1999 a 2002, e assessora de 2003 a 2005. Em agosto de 2005 assumiu a coordenação Regional da CPT em Goiás, onde ficou até 2009, quando foi eleita para a coordenação nacional. De 2015 a 2018 contribuiu na Articulação das CPT´s do Cerrado e também na coordenação da Campanha Nacional em Defesa do Cerrado. Em abril de 2018, foi eleita para a coordenação executiva nacional da CPT durante a XXX Assembleia Geral da Pastoral, para o triênio 2018-2021. Isolete foi reeleita na XXXIII Assembleia Nacional da CPT, realizada entre 6 e 8 de abril de 2021, para a gestão da Coordenação Executiva Nacional da CPT do próximo triênio: 2021 – 2024.