COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

 

O Mato Grosso é o maior produtor de madeira tropical da Amazônia e tem quase 40% dessa produção realizada de forma ilegal. Dos dez municípios que concentram 72% da área explorada ilegalmente, oito estão no ranking dos maiores produtores de madeira legalizada. Os dados fazem parte de um estudo publicado recentemente pelo Instituto Centro de Vida (ICV).

Fonte / Imagem: Caio Mota - Proteja Amazônia com informações do ICV

Existe uma linha tênue entre o que é legal e ilegal no estado que também é o segundo que mais desmata a floresta Amazônica e foi campeão em número de incêndios, em 2019, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).  

Diante deste quadro de destruição o que fez o Governo de Mato Grosso? Aprovou lei que amplia em quatro vezes o consumo de madeira sem reposição. É isso mesmo que você leu. O Estado que mais desmata e é campeão em produção de madeira ampliou em quatro vezes a possibilidade de exploração sem obrigar o madeireiro, legal, fazer a reposição florestal da área desmatada. O Projeto de Lei foi aprovado dia 22 de outubro e é de iniciativa do governador Mauro Mendes (DEM), que é aliado do presidente Jair Bolsonaro e possui sociedade com empresas de mineração e de infraestrutura na região. 

::. Acesse o estudo do ICV sobre desmatamento em Mato Grosso

As possíveis saídas deste cenário de intensas violações socioambientais passam por medidas que vêm sendo negligenciadas sistematicamente tanto por Mendes quanto por Bolsonaro. Aumento de fiscalizações nos municípios com maiores registros de desmatamentos ilegais e aprimoramento de sistemas de controle integrados em níveis estadual e federal são proposições impensadas em um momento de desestruturação de órgãos de fiscalização e de propostas legislativas que legalizam o que antes era considerado ilegal.

Gostou dessa informação?

Quer contribuir para que o trabalho da CPT e a luta dos povos do campo, das águas e das florestas continue? 

Clique aqui e veja como contribuir