COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

 

Na terça, 9 de julho, às 8h, teve início a ação de despejo na Ocupação-comunidade Olaria Barra do Mirador. As 52 famílias vivem no local há 19 anos, ocupando a Fazenda Japoré, no município de Miravânia, extremo Norte de Minas Gerais. A ação foi realizada pelo Comando Geral da Polícia Militar de Minas Gerais com cerca de 100 policiais e 20 viaturas. Relatos descrevem que o despejo foi iniciado como “uma operação de guerra e truculência”.

(Foto e informações da CPT MG)

As 52 famílias ocupam lotes de 40 hectares cada, em média, e produzem milho, feijão, mandioca, queijos e doces, além de criarem gado, porcos e galinhas para o próprio sustento, além disso as famílias do Acampamento da fazenda Mata do Japoré são responsáveis por mais de 50% da farinha produzida no município de Miravânia, que possui cerca de 7 mil habitantes.

Ainda segundo informações locais, os policiais abordaram uma das lideranças e duas famílias falando palavrões, intimidações e impedindo-os de aproximarem da suas casas, que, em seguida, eram derrubadas por tratores, a pedido do fazendeiro e com decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

Não houve reunião da Mesa de Negociação do Governo de Minas com as Ocupações Urbanas e Rurais para tratar do conflito que envolve dezenas de famílias da Ocupação em Miravânia. Nesta quarta-feira (10) haverá Audiência Pública na Comissão Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) para discutir a suspensão da Liminar de Reintegração de Posse.

Gostou dessa informação?

Quer contribuir para que o trabalho da CPT e a luta dos povos do campo, das águas e das florestas continue? 

Clique aqui e veja como contribuir