COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

 

Iniciativa surgiu durante o Fórum Social Pan-Amazônico, no Peru. De lá para cá, a Articulação das CPT’s da Amazônia, em conjunto com organizações dos outros três países amazônicos, iniciaram um processo de discussão e construção de acordos e protocolos para a publicação.  

Fonte e Imagens: Articulação das CPT’s da Amazônia

Durante a realização do Fórum Social Pan-Amazônico (FOSPA) no ano de 2017, em Tarapoto, no Peru, a Comissão Pastoral da Terra (CPT), através da Articulação das CPT’s da Amazônia, apresentou o Atlas dos Conflitos na Amazônia Brasileira. Publicação de iniciativa da Articulação, um projeto da Pastoral que reúne seus nove Regionais presentes na Amazônia Legal: Acre, Amapá, Amazonas, Tocantins, Pará, Rondônia, Roraima, Maranhão e Mato Grosso.

Na ocasião, várias organizações e movimentos populares destacaram a importância do livro como um instrumento de denúncia. Assim, pensou-se em envolver outros países na produção seguinte para dar visibilidade às situações de violência e violações vivenciadas pelos povos e comunidades na Pan-Amazônia.

A partir disso, surge o Atlas de Conflitos da Pan-Amazônia, que se tornou um produto a partir das iniciativas do FOSPA, e que será lançado em Mocoa, na Colômbia, durante a próxima edição do evento no ano de 2020.

De 2017 para cá, a Articulação das CPT’s da Amazônia, em conjunto com organizações de alguns países amazônicos, deram início ao diálogo sobre acordos e protocolos para a construção da publicação. Foram realizadas diversas reuniões para elaboração, de forma coletiva, do Atlas.

LEIA TAMBÉM: Os rostos, pés e corpos da Amazônia e a luta comum

Tecendo fios e construindo redes de resistência com os povos da Amazônia

“Vivemos um contexto na América Latina que não é normal”, afirma a colombiana Olga Lucía

Os países que assumiram esse compromisso foram Brasil, Peru, Colômbia e Bolívia. Uma iniciativa que tem parceria com as agências internacionais de cooperação Misereor e CCFD. Com coordenação da Articulação das CPTs da Amazônia, o projeto conta com a assessoria da professora Dra. Maria José Santos, da Universidade Estadual de Roraima (URR), Carmelo Peralta, da Organização Boliviana CIPCA, e coordenação da professora Dra. Patrícia Chaves, da Universidade Federal do Amapá (Unifap).

Neste mês de setembro, entre os dias 04 a 07, na cidade de Santarém, no Pará, a equipe da Articulação da Amazônia, Darlene Braga, Josep Iborra, conhecido como Zezinho, e Gilson Rego, juntamente com a assessora Maria José, se reuniram para trabalhar nos mapas que serão elaborados para o Atlas. A reunião de trabalho ocorreu em sintonia com a equipe da professora Patrícia Chaves que, do laboratório de geografia da Unifap, da cidade de Macapá, dialogou sobre a sistematização dos dados e a produção dos mapas.

Para a Articulação das CPT’s da Amazônia, ainda há um longo caminho até o lançamento da publicação na Colômbia, contudo, “a construção deste instrumento de denúncia internacional já tem rendido alguns frutos, como a iniciativa de construção de uma rede de solidariedade entre os quatro países, a participação em oficinas sobre proteção, a articulação e envolvimento de professores de diversas universidades destes países amazônicos nos trabalhos relacionados à formação e à pesquisa.

Gostou dessa informação?

Quer contribuir para que o trabalho da CPT e a luta dos povos do campo, das águas e das florestas continue? 

Clique aqui e veja como contribuir