COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

 

A Comissão Pastoral da Terra (CPT) no Piauí apresenta, nesta quinta-feira, 06, às 16 horas, a publicação anual “Conflitos no Campo Brasil 2018”, no Auditório do Centro de Ciências Humanas e Letras (CCHL) da Universidade Federal do Piauí, na capital Teresina.

Fonte / Imagem: CPT Piauí

Os conflitos no Piauí permanecem! Alguns são históricos e famílias vivem em situação de conflito há anos. Além disso, novos casos surgem à medida que grandes empreendimentos se instalam violando os direitos de famílias em diversas comunidades tradicionais de norte a sul do estado. E já em 2019 pode-se citar o caso recente de grilagens de terras no litoral e a invasão de um assentamento no município de Bom Jesus.

Em 2018 no Piauí foram registrados 36 conflitos no campo envolvendo 5.759 pessoas. Foram registrados 02 casos de conflitos trabalhistas nos quais 74 pessoas foram resgatadas no setor do cultivo de soja e em extração de pedras.

Os conflitos por terra envolvem posseiros, quilombolas, pequenos proprietários e sem-terra.

::. Acesse a publicação Conflitos no Campo Brasil 2018

Essa situação demonstra a fragilidade da fiscalização dos órgãos públicos competentes, bem como a negligência do Estado no que diz respeito à regularização fundiária, e mesmo com um núcleo de trabalho nessa área ainda há muito a se fazer.

Nesta última quarta-feira, dia 05, a Comissão Pastoral da Terra no Piauí divulgou uma Nota Pública em que repudia e denuncia o conflito de terra histórico no Assentamento Rio Preto, no município de Bom Jesus (PI).

Mais informações:

Teresinha Menezes (CPT Piauí): 86 98838-3902

Gostou dessa informação?

Quer contribuir para que o trabalho da CPT e a luta dos povos do campo, das águas e das florestas continue? 

Clique aqui e veja como contribuir