COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

 

Na noite da última sexta-feira, dia  3, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) lançou a publicação Conflitos no Campo Brasil 2018 no Instituto de Estudos  Socioambientais (IESA), na Universidade Federal de Goiás (UFG). O lançamento ocorreu dentro da programação da VI Jornada Universitária em Defesa da Reforma Agrária em Goiás (JURA).

Fonte: CPT Nacional

Imagens: Flávio Gonçalves e Ludimila Lelis - CPT

Na abertura do evento foi realizada uma homenagem a dom Tomás Balduino, bispo emérito da Cidade de Goiás (GO) e um dos fundadores da CPT, que faleceu há cinco anos, no dia 2 de maio de 2014. Esse foi o primeiro de uma série de atos que farão parte da V Semana Dom Tomás, que se propõe a manter viva a memória deste grande cidadão.

O evento no IESA reuniu cerca de 60 estudantes, professores universitários e militantes de movimentos sociais, que, a princípio, puderam saborear uma deliciosa pamonhada preparada especialmente para esse momento.

Antônio Canuto, membro fundador da CPT, apresentou os dados sobre conflitos no campo que se destacaram no ano passado, e fez o recorte sobre as situações conflituosas no estado de Goiás. Clique aqui e confira mais informações.

Em seguida, Bete Cerqueira, da coordenação estadual do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), falou, entre outras coisas, sobre o processo e  o significado da ocupação de uma área do médium João de Deus, preso e acusado de inúmeros abusos sexuais contra mulheres. Esta ocupação foi planejada, organizada e executada pelas mulheres do MST em Goiás.

Para concluir, o professor dr. Edson Batista, da Universidade Estadual de Goiás (UEG), falou sobre o que significa a apropriação primitiva dos bens naturais e a violência no contexto da luta pela terra, analisando em detalhe os dados coletados pela CPT. As atividades da noite foram coordenadas por Flávio Marcos Gonçalves, membro do Centro de Documentação Dom Tomás Balduino da CPT e aluno de mestrado em Geografia Agrária na UFG.

O evento foi organizado pelo grupo de pesquisa Trabalho Território e Políticas Públicas (TRAPPU) vinculado ao Laboratório de Estudos e Pesquisas das Dinâmicas Territoriais (LABOTER) da UFG. A Jornada Universitária começou no dia 27 de abril e segue até o próximo sábado, dia 11.

Gostou dessa informação?

Quer contribuir para que o trabalho da CPT e a luta dos povos do campo, das águas e das florestas continue? 

Clique aqui e veja como contribuir