COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

Fazendeiro desmata mais de 1km de vegetação nativa e ameaça comunidade quilombola em Santa Inês(MA) 

Texto e fotos por CPT-Regional Maranhão 

Nos dias 01 a 05 de setembro deste ano, mais de 1 km de extensão de vegetação nativa e protegida foi desmatada ilegalmente dentro do território quilombola Onça, em Santa Inês - MA. 

O desmatamento ocorreu com o uso de um trator de esteira, a mando de um fazendeiro identificado como Fazendeiro Franciano Oliveira Sousa, que promoveu a derrubada de diversas árvores nativas da região, especialmente palmeiras de babaçu espécie fundamental para o sustento das 60 famílias que vivem no quilombo e que tem sua derrubada expressamente proibida, através da Lei do Babaçu Livre . 

Acionado pelos quilombolas, o Ministério Público do Estado requisitou a presença da polícia no local, que apreendeu um trator de esteira, após verificar o crime ambiental. 

Mesmo com a atuação do MP-MA, nos dias seguintes, homens a mando do fazendeiro voltaram ao território para fincar estacas e cercar áreas que estão dentro limite do quilombo, reforçando o clima de tensão e medo entre os moradores.

Babaçuais desmatados no território quilombola Onça, em Santa Inês(MA). Foto: CPT-MA 

Na manhã do dia 15/09 ocorreu uma nova invasão nas áreas de plantação da comunidade, com destruição de uma roça de melancias. Essa ação mostra que o fazendeiro não teme a justiça elevando o nível de tensão e insegurança que os quilombolas têm vivido naquela localidade, haja vista, a decisão seja de resistir e proteger território e a natureza.

A retomada do território pelas crianças quilombolas 

Na manhã de 13.09, porém, dezenas de crianças do quilombo decidiram proteger a terra em que nasceram seus avós, tapando os buracos com suas próprias mãos. Iniciaram elas mesmas a retomada do território, como uma brincadeira de quem nasce e cresce lutando. Agora, a comunidade exige que as instituições atuem na proteção do quilombo, das ameaças e violências que a comunidade vem enfrentando.