COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

Informação foi repassada pelo presidente do Conselho Distrital de Saúde Indígena Yanomami e Ye’kuana, Júnior Hekurari Yanomami. Segundo informações de Júnior, as vítimas são Original Yanomami e Marcos Arokona Yanomami. A situação dos feridos e quantos foram atingidos ainda não é certa.

(Folha BV e Mídia Índia / imagem: Condisi)

Um conflito entre garimpeiros e indígenas na Terra Indígena Yanomami, na região da Serra Parima, no município de Alto Alegre, Roraima, teria resultado na morte de dois indígenas por arma de fogo e deixado outros feridos. 

A informação foi repassada pelo presidente do Conselho Distrital de Saúde Indígena Yanomami e Ye'kuana (Condisi/YY), Júnior Hekurari Yanomami na terça-feira, 23. Na ocasião, o presidente do Condisi informou que o conflito ocorreu entre garimpeiros e indígenas em uma área de floresta. As vítimas são Original Yanomami e Marcos Arokona Yanomami. A situação dos feridos e quantos foram atingidos ainda não é certa, afirma Júnior. 

Por conta desta situação e também pelo registro da queda de um avião utilizado para o garimpo na região do Alto Mucajaí, no último sábado, o representante da saúde indígena informou que elaborou um documento cobrando mais fiscalização das autoridades.

O ofício é assinado pelo presidente do Condisi e foi encaminhado ainda na terça-feira ao coordenador substituto distrital Antonio Pereira, à Fundação Nacional do Índio (Funai), Superintendência Regional da Polícia Federal em Roraima (PF-RR) e Ministério Público Federal em Roraima (MPF-RR) 

Para Júnior, a expectativa é que o ofício possa reforçar a necessidade de investigar e dar mais segurança para as comunidades. “Diante de todos esses danos potenciais e previsíveis, que acabaram por se confirmar com o passar do tempo, solicitamos que seja ajuizada alguma ação, uma vez que a situação se agravou de tal forma que o caos social se instalara e a atividade criminosa caminha para sair do controle das forças de segurança”, reforça o documento.

 

Gostou dessa informação?

Quer contribuir para que o trabalho da CPT e a luta dos povos do campo, das águas e das florestas continue? 

Clique aqui e veja como contribuir