COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

Decisão favorece mineradora em área onde vivem cinco famílias

Por Mário Manzi

Fotos: CPT Regional Goiás

A Comunidade Macaúba, localizada a cerca de 15 quilômetros de Catalão (GO), corre risco de reintegração de posse por conta de liminar concedida em favor da mineradora Mosaic / Vale Fertilizantes S/A. Segundo a decisão, cinco famílias, das 25 que vivem na comunidade, devem deixar suas propriedades em até cinco dias após serem notificadas.

Povo dos Gerais denuncia mineradora SAM e Governo Zema

A extração de nióbio e fosfato nos municípios de Catalão e Ouvidor foi iniciada no ano de 1976 e desde então segue uma trajetória de expropriação de pequenos agricultores de comunidades locais, sendo elas Chapadão, Macaúba, Mata Preta e Coqueiros em Catalão e nas Comunidades Paraíso de Cima, do Meio e Paraíso de Baixo, no município Ouvidor. Além da expropriação, são relatados impactos ambientais que dificultam a produção agrícola das famílias.

Nota Pública: No Cerrado, polícia expulsa moradores da terra onde produzem

Mesmo antes da última decisão, que é liminar, a empresa havia fixado cercas na área em litígio. Segundo informações locais, a comunidade chegou a removê-las, mas a cercas foram novamente instaladas. A equipe da Comissão Pastoral da Terra - Regional Goiás acompanha o caso.

Tribunal dos Povos no Estado de Goiás ocorre às margens do Rio Vermelho, na Cidade de Goiás

Gostou dessa informação?

Quer contribuir para que o trabalho da CPT e a luta dos povos do campo, das águas e das florestas continue? 

Clique aqui e veja como contribuir