COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

 

Para acessar as publicações abaixo, clique sobre a imagem de cada uma (ANTES DE UTILIZAR AS INFORMAÇÕES DAS PUBLICAÇÕES, CONFIRA A POLÍTICA DE USO DOS DADOS DA CPT, DISPONÍVEL AO FINAL DO TEXTO OU ACESSE AQUI O DOCUMENTO):

* Somente nesse ano de 1989, a CPT fez duas publicações

 
 
 
     

 

Em 1985, como forma de denunciar esta realidade, os dados começaram a ser sistematizados e publicados. Desde então, todos os anos, a entidade publica o livro Conflitos no Campo Brasil, onde se registra os conflitos por terra - violências como despejos e expulsões - e os números da violência contra pessoa, como assassinatos, ameaças de morte, prisões. Há, ainda, os dados do trabalho escravo, conflitos pela seca e as manifestações envolvendo os temas citados, entre outras informações. Em 2002, a CPT incluiu em sua documentação os conflitos gerados pelo uso da água. Ainda neste mesmo ano, a obra Conflitos no Campo foi reconhecida como publicação científica pelo Instituto Brasileiro de Informação e Ciência e Tecnologia (IBICT).

A CPT, com este trabalho, tornou-se a única entidade a realizar tão ampla pesquisa da questão agrária em escala nacional, e os seus dados são utilizados por várias instituições de ensino, pesquisadores, instâncias governamentais e pela imprensa.

Por que documentar?

Por fidelidade “ao Deus dos pobres, à terra de Deus e aos pobres da terra”, como está explicito em sua missão, é que a CPT assume o compromisso de registrar e denunciar os conflitos de terra e da água e a violência contra os trabalhadores e seus direitos. A documentação, realizada por um setor específico da entidade, possui as dimensões:

Teológica – de acordo com a história bíblica, Deus ouve o clamor do seu povo e está presente na luta dos trabalhadores. A luta em si é um ritual celebrativo da presença de Deus e da esperança que anima o povo.

Ética – porque a luta pela terra é uma questão de justiça e deve ser pensada no âmbito de uma ordem social justa.

Política – o registro da luta é feito para que o trabalhador, conhecendo melhor sua realidade, possa com segurança assumir sua própria caminhada, tornando-se sujeito e protagonista da história.

Pedagógica – o conhecimento da realidade ajuda a reforçar a resistência dos trabalhadores e a forjar a transformação necessária da sociedade.

Histórica – todo o esforço e toda luta dos trabalhadores de hoje não podem cair no esquecimento e devem impulsionar e alimentar a luta das gerações futuras

Científica – a preocupação de dar um caráter científico à publicação existe não em si mesma, mas para que o acesso aos dados possa alimentar e reforçar a luta dos próprios trabalhadores, contra o latifúndio. Não se trata simplesmente de produzir meros dados estatísticos, mas de registrar a história da luta de uma classe explorada, excluída e violentada.

 

POLÍTICA E REGRAS DE USO DOS DADOS DO

CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO “DOM TOMÁS BALDUINO”

DA COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

Para contribuir na utilização adequada dos dados e informações sobre conflitos no campo registrados pela Comissão Pastoral da Terra – CPT e publicados anualmente desde 1985, com o título “Conflitos no Campo Brasil”, em conformidade com sua missão e finalidade, ela define uma política e estabelece normas básicas. 

A atividade de documentação na CPT praticamente nasceu com ela, como mais uma dimensão de seu serviço pastoral à causa dos camponeses/as e trabalhadores/as rurais. Do amadorismo inicial foi ganhando qualificação profissional. O atual Centro de Documentação Dom Tomás Balduino da CPT atua em estrito cumprimento às normas e procedimentos estabelecidos cientificamente para a coleta, tratamento e organização de documentos e dados deles decorrentes. Sua atuação é pautada não só pelo registro e divulgação documental, mas também pela análise crítica desse material, no intuito de dar visibilidade e possibilitar empoderamento ao povo do campo em suas diversas lutas - de posseiros/as, pequenos/as agricultores/as, acampados/as, assentados/as, assalariados rurais, indígenas, quilombolas e tantas outras comunidades tradicionais. Desta forma, busca preservar a memória e a história das lutas e movimentos sociais do campo, respeitando a pluralidade e diversidade destas categorias. E, assim, contribuir para a construção de um país justo e igualitário, realmente democrático. Estas categorias visam respeitar de modo fidedigno as diversas identidades com que se manifestam os sujeitos coletivos em suas lutas no campo, historicamente construídas. 

Trata-se de um trabalho construído coletivamente, envolvendo agentes da CPT em todos os níveis e as várias equipes de documentação, contando com a contribuição dos movimentos sociais, sindicatos, igrejas e outras organizações e entidades que atuam no meio rural. Uma equipe de documentalistas coleta e processa estas informações, alimentando um dos mais importantes acervos documentais sobre as lutas pela terra, territórios, água, defesa e conquista de direitos e formas de resistência dos camponeses e camponesas do Brasil. Este trabalho conta com o apoio e assessoria de pesquisadores e pesquisadoras de diversas áreas do conhecimento e instituições acadêmicas.  

Como parte fundamental da finalidade deste trabalho meticulosamente construído ao longo de décadas, a CPT permite, facilita e preza a utilização de seus dados. Para que esta finalidade se cumpra do melhor modo e sem equívocos, a CPT estabelece e espera que sejam cumpridas as seguintes regras: 

  • Dados, bem como nomes, categorias, conceitos, definições e descrições estabelecidas em suas publicações impressas e digitais, devem ser respeitados e reproduzidos de forma fidedigna ao que consta nestas publicações. Só desta forma estará autorizada a reprodução destas informações, seja por pesquisadores e pesquisadoras, meios de comunicação, organizações não-governamentais, órgãos do governo, instituições nacionais e internacionais, movimentos sociais, Igrejas e demais possíveis utilizadores; 
  • Sempre e em toda e qualquer forma de reprodução, deve ser citada a fonte “CEDOC Dom Tomás Balduino – CPT”; 
  • Fotos e imagens de mapas e/ou gráficos que constem nos relatórios e sejam de propriedade de terceiros, não são disponibilizados para reprodução, a não ser que o/a responsável assim o permita. Os que forem de propriedade da CPT, para serem reproduzidos deverão trazer o link da origem na página da CPT cptnacional.org.br ou, no caso de referências via impressos da CPT, a citação deve ser feita conforme as regras da ABNT; 
  • Fotos de autoria da CPT só poderão ser utilizadas com os devidos créditos e com sua autorização prévia; 
  • Vídeos produzidos pela CPT só poderão ser utilizados com citação dos créditos e menção ao link para a página da CPT; 
  • Os textos analíticos com os dados podem ser reproduzidos, desde que sem alterações, nem fora de contexto; entre aspas, com o devido crédito dos autores e da publicação em questão, também conforme as regras da ABNT; 
  • Os dados documentados e sistematizados pela CPT não poderão ser transferidos e unificados com outras bases de dados, sem que se faça menção rigorosa e estrita à fonte CPT e a seus critérios metodológicos; 
  • Quando utilizados em conjunto com dados de outras fontes, os dados da CPT deverão ser especificados como a ela pertencentes, com menção das fontes e de acordo – conforme já descrito na regra 1 (um) – com os seus conceitos, definições e categorias; 
  • Conforme o caráter de bem comum que inspira o trabalho da CPT, fica vedado qualquer uso comercial das publicações de seus dados; 

10) A CPT se reserva o direito de divulgar os dados do “Conflitos no Campo Brasil” somente após sua publicação. 

Tornadas necessárias estas regras e com a explicitação de suas razões, a CPT espera estar preservando e incentivando o melhor uso de seus dados, em cumprimento de sua Missão junto aos povos da terra e territórios, das águas e das florestas. Missão que se expressa também “na divulgação de suas vitórias e no combate às injustiças; (...) buscando envolver toda a comunidade cristã e a sociedade, na luta pela terra e na terra; no rumo da ‘terra sem males’”. 

Goiânia, 02 de abril de 2018. 

COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

Diretoria Nacional

Coordenação Executiva Nacional

Centro de Documentação Dom Tomás Balduino