COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

 

A Diretoria e Coordenação Nacional da Comissão Pastoral da Terra (CPT), no dia da Páscoa de Irmã Alberta Girardi, ocorrida na madrugada deste 30 de dezembro de 2018, quer louvar e agradecer a Deus pelos preciosos 97 anos de vida desta fiel, resistente e lutadora irmã.

(Imagem: Arquivo CPT Nacional)

24 de outubro de 1921 - 30 de dezembro de 2018

 Irma Alberta pertencia à congregação das Pequenas Irmãs Missionárias da Caridade (ORIONITAS). Nascida na Itália, chegou ao Brasil em 1970, desenvolvendo suas atividades na região do Bico do Papagaio, no então Norte de Goiás, hoje Tocantins. Lá permaneceu até 1986, quando teve que deixar a cidade de Araguaína, após o assassinato do Pe. Josimo Moraes Tavares, seu companheiro na luta em defesa dos posseiros. Irmã Alberta também estava jurada de morte.

Em 1996 foi transferida para São Paulo onde se integrou totalmente no trabalho da CPT, chegando a viver num acampamento às margens da Rodovia Anhanguera, que se tornou o assentamento que leva seu nome.

Mesmo com idade avançada, Irmã Alberta estava sempre firme e atuante ao lado dos sem-terra, do povo de rua, das crianças. Nesta luta permaneceu enquanto as condições físicas lhe permitiram.

Irmã Alberta encarnou profundamente em sua vida a renovação implantada pelo Concílio Vaticano II e se inseriu totalmente na vida dos pobres e excluídos, como pedia a Conferência de Medellin, sempre fiel aos ensinamentos e prática de Jesus.

Andrelina, companheira de equipe de Alberta na CPT em São Paulo, ao comunicar sua passagem, a qualifica como mãe dos pobres, mãe dos direitos humanos. Dela disse Roberto Malvezzi, o Gogó: “Pessoa linda, a Alberta. Generosa, fiel, aquela simplicidade verdadeira”.

E o padre Thiago Thorlby, da CPT Nordeste 2: O que impressiona é o tamanho das mãos da Alberta...

... imagine o tamanho do coração

... imagine o tamanho do coração de quem inspirou Alberta”.

E Sandro e Anna Maria, também companheiros de CPT, pedem que “Alberta, irmã querida d@s pobres, fermento de nossas lutas, sal do nosso saber e luz do nosso caminho, fique conosco e, com sua santa teimosia, anime nossa fidelidade ao Deus d@s pobres e aos pobres de Deus”.

A Diretoria e Coordenação Nacional da CPT sentem que toda a CPT tem uma intercessora junto de Deus, e esperam que todos e todas que assumem as causas da CPT se inspirem no exemplo desta santa e corajosa mulher.

Santa Alberta, roga pela CPT, pelo MST, com quem você tanto conviveu, pelos Sem-Terra, pelo povo da rua, pelas crianças abandonadas por este nosso Brasil, neste momento de trevas.

A Diretoria e Coordenação Executiva Nacional da CPT

Goiânia, 30 de dezembro de 2018.

 

Gostou dessa informação?

Quer contribuir para que o trabalho da CPT e a luta dos povos do campo, das águas e das florestas continue? 

Clique aqui e veja como contribuir